BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Quando a esmola é demais...


Sabe aquela história “quando a esmola é demais o santo desconfia”? Pois é, é mais ou menos isso o que está acontecendo com a proposta do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de criar a Secretaria da Amazônia, com sede em Manaus. Sem entrar em detalhes, o ministro informou que o novo órgão vai descentralizar as ações federais do setor na região, com o objetivo de viabilizar a fiscalização e a promoção do desenvolvimento sustentável. Isso deixou os parlamentares da bancada do Amazonas de orelhas em pé. O anúncio divide opiniões e gera desconfianças sobre os objetivos da medida. De acordo com o ministro, a nova unidade vai funcionar na sede da Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Amazonas (Sema), em Manaus.

O que está por trás?

O deputado federal do Amazonas, José Ricardo (PT), foi um dos primeiros a reagir, desconfiado do anúncio do ministro.

— Não sei os interesses que estão por trás dessa proposta, visto que Bolsonaro está privatizando empresas e serviços estratégicos na Amazônia, como a energia, o petróleo, o gás, os minérios.

Além de tudo isso, Zé Ricardo lembra que a proposta do governo para a Amazônia também ameaça os povos indígenas e “apoia os desmatadores da floresta”.

Gato escaldado...

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM) também deu uma cutucada, criticando a decisão do atual governo de revogar, em maio do ano passado, o edital do novo Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA).

...tem medo de água fria!

De acordo com  o parlamentar, muito provavelmente por preconceito em relação às universidades e instituições de pesquisas, o governo enfraqueceu o CBA.

— Hoje, esse centro funciona com uma estrutura precária, sem condições de cumprir com seus objetivos –, disse Ramos.

Eterno candidato

Já faz parte da tradição na política do Estado. Eleição que se preza tem que ter candidatura do militante de esquerda Herbert Amazonas (PSOL).

Nos últimos pleitos, depois de disputar mais de seis eleições, o comandante decidiu guardar por um tempo a velha bandeira vermelha. Mas agora decidiu voltar à luta.

Batismo de fogo

Funcionário dos Correios, Herbert entrou na política em 1998, disputando o governo do Estado. E não fez feio. Cravou 6.336 votos. Ao todo, Herbert disputou oito eleições - três para prefeito de Manaus e cinco para o governo do Estado.

Contra a bandalheira

Em 2016 decidiu jogar a toalha, se dizendo decepcionado com a indiferença do eleitor.

— Somo mais de 2 milhões de eleitores e  apenas 5 mil estão contra a bandalheira e a corrupção? É essa a classe trabalhadora do nosso estado? – cutucou à época.

Te cuida, prefeito!

Para votar a inflamar a campanha nas próximas eleições municipais, Herbert antecipou ao BMA que é candidatíssimo a vereador. E explicou o que o fez sair da “aposentadoria” e retornar à cena.

— Quero me eleger para incomodar o futuro prefeito.

Herbert faz militância nas redes sociais

De volta ao começo

Quem também está de volta à política é o Policial Federal Júnior Brasil. E nas asas do PSB. O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira pelo presidente de honra do partido, deputado Serafim Corrêa.

Pra chamar de seu

Para quem esqueceu, Brasil disputou o cargo de vice-governador nas eleições estaduais de 2014 e para vereador em 2016. Saiu do PSB em 2016 para fundar a REDE Sustentabilidade.

—  Estou à disposição do PSB a partir de agora –, comentou o Federal, que considera o PSB um partido pra chamar de seu...

Filho pródigo

Sarafa, que fez o convite para o ‘filho pródigo’ retornar à casa paterna, disse que Júnior Brasil é um ‘quadro qualificado’ e que vai elevar o debate político tanto dentro quanto fora do PSB.

— É isso ocorre no momento em que todos precisamos de renovação com qualidade. Ele reúne essas condições. Fico feliz pela sua filiação –, ressalta o líder do PSB.

Combate à fome

Com o programa “Peixe no Prato”, da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), o governo do Amazonas pretende colocar comida na mesa do pobre.

A preços acessíveis, serão comercializadas aproximadamente 1,2 toneladas de peixes populares.

Caldeirada

No feirão vai tambaqui roelo, tambaqui curumim e pirarucu de manejo. Pra caldeirada, serão colocadas à venda 1.500 sacolas de verdura contendo itens da agricultura familiar, como cheiro verde, limão, maxixe e pimenta de cheiro.

Tormenta

O presidente Jair Bolsonaro não se cansa de atacar a imprensa. Dessa vez, usou as suas redes sociais para detonar a jornalista Thaís Oyama, autora do livro Tormenta.

Tormenta 2

Segundo o livro, Jair Bolsonaro (sem partido) desistiu da ideia de demitir o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) em agosto do ano passado, após ser aconselhado pelo ministro-chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI) da Presidência, general Augusto Heleno.

“Essa imprensa é uma vergonha. Lê meus pensamentos e ministros se convencem a não demitirem a si próprios. KKKKKKKK & KKKKKKKKK”– escreveu Bolsonaro.

Li
Livro vem fazendo barulho

Transparência

A Câmara Municipal de Manaus deu um grande passo em direção à transparência.

Apresentou na sessão dessa terça-feira, 14, o Sistema Integrado de Gestão Administrativa e Econômica (Sigae), uma prática adotada para melhorar o gerenciamento e a aplicação dos recursos oriundos dos impostos pagos pelo cidadão.

Primeirona

A CMM é a primeira da Região Norte a implantar a nova ferramenta administrativa. Uma exigência da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

— A ferramenta não somente trará maior celeridade aos trabalhos dos setores, como também nos dará uma visão de gestão de como usar melhor esses recursos em benefício da própria população –, disse Joelson Silva.

Usuário não se cala

Desde que passou a receber as demandas do usuário contra empresas de energia elétrica, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacom) chegou à conclusão que a maior reclamação tem sido o questionamento sobre a legalidade nas cobranças consideradas salgadas.

Balanço

No primeiro balanço, os números apontam que de janeiro a novembro de 2019, dos 6.623 registros, 43,3% deles (2.864) colocam em xeque as cobranças.

Faz escuro

Já a interrupção do fornecimento e outras queixas relacionadas à qualidade do serviço representaram 9,2% da grita encaminhada à Senacom.

EM ALTA

O exemplo vindo da Austrália, onde helicópteros já jogaram mais de 2 toneladas de legumes frescos para alimentar cangurus, coalas e gambás que escaparam dos incêndios florestais. Os animais que sobrevivem ao fogo normalmente ficam escondidos com alimentos naturais limitados enquanto o fogo destrói a vegetação em torno de seu habitat rochoso. Entre os alimentos jogados nos parques e florestas estão cenoura e batata-doce. O serviço de parques passou os últimos dias jogando comida nos vales de Capertree e Wolgan, no Yengo National Park, no Vale do Canguru e nos arredores dos parques nacionais de Jenolan, Oxley Wild Rivers e Curracubundi.

EM BAIXA

A série sobre o assassinato de Eliza Samúdio, que recontará o crime cometido pelo goleiro Bruno em 2010, nem foi ao ar e já está dando o que falar. Segundo informações do jornalista e colunista do UOL, Leo Dias, a primeira cena da trama vai chocar os telespectadores com a presença de cães da raça rottweiler devorando Eliza. Samúdio será vivida pela atriz Vanessa Giácomo, que foi quem deu a ideia de transformar em seriado o livro ‘Indefensável – O Goleiro Bruno e a História de Morte de Eliza Samúdio’, escrito por Leslie Barreira Leitão, Paula Sarapu e Paulo Carvalho.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.