Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dia D para a retomada gradual das atividades econômicas


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convocou governadores do País para uma videoconferência que acontecerá nesta quinta-feira (21). Apesar dos números alarmantes de mortes e pessoas infectadas pela Covid-19, os gestores estão mesmo é deitando olho gordo sobre a possibilidade do presidente sancionar o projeto de socorro emergencial aos estados e municípios, o PLP 39/2020, aprovado pelo Senado desde o último dia 6 e liberado para a sanção no dia seguinte.

Em contrapartida, o chefe do Executivo federal defende que os gestores flexibilizem as regras do isolamento social. E aí é que está o nó pois cada estado tem a sua realidade em relação aos números da pandemia. Os do Amazonas, por exemplo, são alarmantes. Flexibilizar, agora, seria um grave erro.

Conversa afiada

Ontem, 20/04, o governador Wilson Lima confirmou sua presença  na conversa afiada que terá com Bolsonaro. E fez um pré-aquecimento através de videoconferência com seus colegas do Fórum de Governadores  para alinhar a pauta da reunião com o capitão.

Retomada gradual

Durante a videoconferência, Wilson Lima defendeu uma convergência em torno dos assuntos que serão abordados no encontro, como o apoio do Governo Federal aos estados e as estratégias para a retomada gradual das atividades econômicas.

Urgência urgentíssima

Para a grande maioria dos governadores, é urgente a sanção do Presidente ao Auxílio Emergencial aos Estados, já aprovado há mais de 8 dias, e que vai possibilitar acesso a R$442 milhões em quatro parcelas.

O socorro deve minimizar o forte impacto da queda das receitas, de maneira que que os Estados possam honrar as obrigações básicas frente à população.

Menos armas, menos mal

Nos quatro primeiros meses deste ano, o número de armas de fogo retiradas de circulação em Manaus foi o maior para o período desde 2016.

O volume apreendido entre janeiro e abril de 2020 foi de 790 armas, 5,8% maior que em igual período de 2019.

Com 790 armas, o volume apreendido entre janeiro e abril de 2020 foi 5,8% maior que em igual período de 2019.

Os números são do setor de Balística do Instituto de Criminalística do Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC-AM).

Bala na agulha

O DPTC informa que toda vez que uma arma é apreendida ela é destinada a um setor específico para exame em armas de fogo, que é o setor de Balística Forense, onde a arma passa por várias etapas de exames. Entre eles, o exame de eficiência, em que são realizados os disparos e feita a verificação de que a arma realmente funciona.

O povo quer saber

Mas,  e depois, qual o destino dessas armas? São destruídas, são encaminhadas ao Exército? Ou voltam a circular por caminhos não muito transparentes?

Adiado o Enem

Atenção estudantada: O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou nesta quarta-feira, 20,  que adiará a aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pelo período de 30 a 60 dias em relação às datas previstas.

Enem deve ser realizado em dezembro ou janeiro 

Dezembro ou janeiro

A prova, que estava prevista inicialmente para novembro, deve acontecer agora em dezembro ou janeiro de 2021.

O período de adiamento foi sugerido mais cedo pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em rede social.

Decisão no voto

A decisão sobre a nova data do Enem será tomada após realização de uma enquete junto aos inscritos para o exame 2020. A consulta deve ocorrer em junho por meio da página do participante.

5 milhões inscritos

Em média, 5 milhões de candidatos participam do Enem. Até o momento, segundo o MEC, mais de 4 milhões fizeram a inscrição para o exame deste ano.

Pescador injustiçado

O deputado Sinésio Campos (PT) criticou, nesta terça-feira (19), a decisão da Presidência da República que vetou a liberação de pagamento do Auxílio Emergencial aos pescadores e pescadoras do Brasil.

A medida vai atingir mais de 360 mil trabalhadores do setor, responsáveis por uma produção de 20 milhões de pescado destinado ao consumo da população brasileira.

Derrubem o veto

Diante da medida do Presidente Jair Bolsonaro, Sinésio colocou a boca no trombone e fez um apelo ao Congresso Nacional para a derrubada do veto.

Fim do recesso já

O vereador Diego Afonso (PSL) que a suspensão do recesso parlamentar, previsto para o período de 26 de junho a 09 de julho.

Com esse objetivo, o parlamentar apresentou projeto durante a sessão plenária virtual da Câmara Municipal.

— A população de Manaus e do Amazonas, precisa do nosso trabalho na Casa Legislativa, pois, sabemos dos impactos que a pandemia da covid-19 está causando à saúde e à economia –, disse o vereador.

Gazeteiro

Tudo bem que Diego Afonso queira o fim do recesso legislativo, mas, segundo alguns futriqueiros de plantão é o que menos aparece às sessões.

Boicote ao Brasil

O desmatamento avassalador na Amazônia começa a comprometer a imagem do Brasil no mundo e, principalmente, nas relações comerciais.

As maiores redes supermercadistas da Inglaterra ameaçam boicotar a importação e comercialização de produtos brasileiros caso a Medida Provisória (MP) 910.

Incentiva grileiros

A MP de Bolsonaro prevê a regularização de assentamentos informais ou ilegais existentes em terras da União, seja aprovada pelo Congresso Nacional. Segundo os grupos varejistas, a aprovação da MP deverá agravar o desmatamento na Amazônia.

Presidente cético

Em uma carta aberta enviada aos deputados e senadores brasileiros,  os grupos se referem a Jair Bolsonaro como um “chefe de Estado, cético em relação ao consenso científico sobre as mudanças climáticas”.

Nada fez

Para eles, o presidente do Brasil “nada tem feito para desencorajar a exploração da floresta amazônica para agricultura ou mineração, pelo contrário”.

ÚLTIMA HORA

Mais uma afirmação de Jair Bolsonaro cai por terra. De acordo com o depoimento à PF, do superintendente da corporação em Minas Gerais, delegado Cairo Duarte, o presidente não manifestou qualquer insatisfação com as investigações do caso Adélio. O delegado afirmou que nunca chegou a ser cobrado por informações do inquérito, embora o presidente fosse a vítima.

O depoimento contrasta com as insistentes vezes em que Bolsonaro, seu clã familiar e seus apoiadores se referem ao caso Adélio em público e em redes sociais, sugerindo que o caso foi mal investigado ou conduzido. A julgar pelo depoimento do delegado, quando Bolsonaro teve a oportunidade de manifestar sua contrariedade pessoalmente às autoridades da PF, não o fez.

ORGULHO

A Cidade de Hugo Napoleão, a 115km da capital Teresina, não tem nenhum caso de Covid-19. Mesmo assim a prefeitura determinou o fechamento dos limites do município após o número de casos confirmados da Covid-19 aumentar em cidades vizinhas. Segundo o prefeito, Hélio Rodrigues (PT), o município ainda não possui nenhum caso da doença confirmado, mas mesmo assim, a medida foi tomada para evitar que o coronavírus entre no território municipal. De acordo com o prefeito, a medida adotada é uma forma de prevenção para tentar impedir que casos de contaminação apareçam no município. E ainda tem gente que n ão credita que o isolamento é a maior afirma contra a pandemia.

VERGONHA

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta ironizou a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre cloroquina durante entrevista nesta quarta-feira (20) na GloboNews. O médico afirmou que "quem é de direita usa cloroquina. Quem é de esquerda, tubaína. E quem é de juízo, escuta a medicina." O ex-ministro falou sobre a implantação do medicamento no Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com Mandetta, é muito mais confortável para Bolsonaro ter um ministro que não é médico. "Qualquer um que se sentou nas cadeiras das universidades de medicina tem dificuldade em assinar". O médico estava se referindo ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.