BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

“Desmatamento alcançou níveis irreversíveis”, diz pesquisador em conferência do TCE-AM


Na webconferência “Desmatamento e Queimadas na Amazônia: Desafio de Todos!”, realizada pelo Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) nesta sexta-feira (17), o presidente do comitê científico do International Geosphere Biosphere Progamme, Carlos Nobre, afirmou que o desmatamento da Amazônia alcançou níveis irreversíveis.

“Não estamos, infelizmente, longe desse ponto de não retorno. Se em meados de 2050, este cenário com a mudança climática, o desmatamento em 20% e os efeitos do aumento nos incêndios florestais, teremos uma parte de savana que tornaria as consequências irreversíveis na floresta amazônica”, ressaltou o pesquisador.

Ele apresentou dados que mostram o porquê da necessidade dos órgãos públicos fomentarem a discussão acerca da temática, sobretudo os que estão diretamente envolvidos na preservação da floresta amazônica.

Com a temática “Está a Amazônia próxima de um ponto de não retorno?” o pesquisador destacou as peculiaridades da floresta amazônica, que consegue gerar umidade e chuva para si mesma, diferente de outros biomas, sendo fator primordial em sua biodiversidade.

“A floresta amazônica existe porque não existe uma estação seca, como é o exemplo do cerrado. A floresta gera condições para sua própria existência, gerando chuva, tornando a estação seca muito curta. Essa evolução biológica faz um solo super úmido e, portanto, quando tem uma descarga elétrica, não propaga fogo. Por isso o tamanho da biodiversidade na Amazônia”, explicou o pesquisador Carlos Nobre.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.