BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Decreto de restrições continua no Amazonas, mas tem alterações


O governador Wilson Lima (PSC) fez pronunciamento na tarde desta sexta-feira, 05/02, informando que o Amazonas continua na faixa roxa, a mais grave de toda a pandemia. Entretanto, mesmo assim, o decreto de restrições sofreu algumas mudanças para que seja validado por mais uma semana em todo o estado. De acordo com ele, já há uma queda nos números, porém ainda não é possível ter funcionamento normal de todos os serviços.

"Todas as decisões são baseadas em critérios científicos, na nossa rede de saúde e em conversas com os envolvidos. Nenhuma das decisões é fácil, mas são necessárias. A gente tem feito isso com ponderação, mas entendendo a necssidade que temos de que haja o mínimo de atividade econômica funcionando", disse o governador.

O novo decreto começa a valer a partir de segunda-feira, 08 de fevereiro. Na próxima sexta-feira, o Governo do Amazonas informará se haverá alterações.

Pronunciamento foi nesta sexta-feira

CONFIRA AS MUDANÇAS

  1. Circulação restrita entre 19h e 6h da manhã;

2. Comércio funcionará apenas para vendas por meio eletrônico - de 8h às 17h;

3. Assistências técnicas apenas em domicílio - de 8h às 17h;

4. Controle de pragas - de 8 às 17h;

5. Indústrias podem funcionar por 24h, mas sem deslocamentos entre 19h e 6h;

6. Obras nas áreas de saúde e infraestrutura estão permitidas;

7. Obras de segurança e reparo predial estão permitidas;

8. Lojas de conveniência - até 18h sem consumo no local;

9. Bares e restaurantes - de 6 às 22h para delivery e drive thru até 18h;

10. Instituições filantrópicas - arrecadações de 8 às 17h.

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.