BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Comissão Eleitoral suspende por 30 dias campanha de candidato à presidência do Crea Amazonas


A eleição acontece no dia 1º de outubro e poderão votar os profissionais de todas as Engenharias, Agronomia, Geologia, Geografia e Meteorologia, além de tecnólogos das áreas afins e técnicos de segurança do trabalho.

A Comissão Eleitoral Regional (CER) do Conselho de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM) suspendeu por 30 dias a campanha do candidato à presidência do Crea-AM, Cláudio Machado. As eleições do Sistema Confea/Crea/Mútua acontecem no próximo dia 1º de outubro. Em disputa, o cargo de presidente do Conselho Federal (Confea), presidente do Conselho Regional (Crea), além de diretor geral e administrativo da Mútua, a Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea.

De acordo com a denúncia, o candidato Cláudio Machado fez propaganda em site de pessoa jurídica, o que é vedado  pelo Art. 44 da Resolução 1.114/2020, e por ter feito propaganda eleitoral nas dependências do Crea-AM com informações falsas posteriormente veiculadas no aplicativo WhatsApp, vedado pelos Arts. 41 e 45, inciso VII, também da Resolução 1.114/2019.

“Considerando que existe a propaganda eleitoral negativa, que consiste em produzir informação desabonadora sobre determinado candidato, normalmente falsa e com teor sensacionalista, por meio da qual o outro candidato não se mostra preocupado com o objeto da matéria e sim em atingir o adversário, sem se preocupar com o prejuízo moral que está causando para si, para o candidato atingido e para as instituições, no caso, o Crea-AM.”

Cláudio Machado participou de programa no site Portal do Zacarias onde praticou propaganda eleitoral negativa, acusando sem provas o opositor, Afonso Lins. “Considerando que está provado que o candidato Eng. Civ. Cláudio Machado participou de programa em site de pessoa jurídica onde se praticou ostensiva propaganda eleitoral negativa, a qual ultrapassou o limite do bom-senso e da crítica espontânea a que alude o Art. 43, parágrafo único, da Resolução nº. 1.114/2019.”, diz trecho da decisão.

Além disso, o candidato ainda usou de uma reunião realizada no Auditório do Crea-AM, para gravar vídeo enquanto fazia discurso com propaganda eleitoral disfarçada e com informações falsas, como por exemplo, que seu nome não estava na lista de eleitores e que existiam 582 eleitores irregulares na lista, com veiculação do vídeo no WhatsApp.

A eleição acontece no dia 1º de outubro e poderão votar os profissionais de todas as Engenharias, Agronomia, Geologia, Geografia e Meteorologia, além de tecnólogos das áreas afins e técnicos de segurança do trabalho.

O candidato não se manifestou.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas.