BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

'Casa do Bolo Confeitado', patrimônio histórico da época áurea da borracha, está à venda e pode ser demolida


Todo o legado  que está sendo deixado  para as futuras gerações será baseado na nas experiências e na história daqueles que nos antecederam. Preservar a memória é fundamental para qualquer comunidade, porque não existe futuro para um povo que não preserva sua memória. E neste momento, a cidade de Manaus – que já perdeu muito de seus monumentos e símbolos históricos –, está prestes a cometer mais um desses crimes.

Sim, podemos chamar de 'crime', sem medo de estar sendo exagerado, porque vamos permitir que a  'Casa do Bolo Confeitado' seja vendida, possivelmente derrubada para dar lugar a um 'espigão' ou a alguma 'caixa de concreto com  buracos para janelas'. que nada têm a ver com a aquela cidade que um dia foi chamada de 'Paris das Selvas'.

A chamada 'Casa do Bolo Confeitado' é exemplar único de imóvel residencial na Avenida  Joaquim Nabuco, antiga residência de Hermínio Barbosa,  dono da empresa de navegação e aviamento para  o interior do Amazonas,  J. A. Leite & Cia, uma das maiores potências da  segunda fase da borracha, um período importante da nossa história e de grande contribuição econômica para o estado. A casa pertence à família até hoje.

Casa com placa de venda

História

Casa 'Bolo de Noiva', 'Bolo Confeitado', e 'Carmen Miranda' são alguns dos nomes como a casa é conhecida. É difícil passar despercebida por ser uma das residências, mais chamativas da cidade. É caracterizada pelo exagero de ornamentos e mistura de estilos “que fogem do tradicional”.

De acordo com o portal 'Manaus Antigamente', a residência, possivelmente construída entre as décadas de 30 e 40, foi um presente do comerciante Hermínio Barbosa para a sua filha, que estava completando 15 anos.

Em estilo art noveau, a casa foi erguida entre os anos 1930-1940. Trata-se de uma e peça rara na arquitetura do norte e nordeste do pais . Sempre atraiu a atenção da cidade , pelas peculiaridades da edificação. Seu interior, com ambientes pequenos, tem paredes marmorizadas a mão, escada de alvenaria e detinha mobiliário dos anos 30-40.

Do lado esquerdo da casa, existe a residência original da família, com a data de 1902 no portão. Hermínio Barbosa foi proprietário da casa de aviamento J. A. Leite & Cia. Ele foi uma das vítimas do acidente com o avião Constellation da Panair do Brasil, em 1962.

“Temos que lutar para desapropriar, ou tombar imediatamente. Será um crime se venderem e derrubarem” (Robério Braga)

Alerta

—  Manaus corre o risco de perder exemplar único de imóvel residencial conhecido como “Bolo Confeitado”, referência em todos os guias de turismo urbano –, alerta o presidente da Academia Amazonense de Letras (AAL), historiador Robério Braga, que incluiu  o palacete no guia “Manaus na Palma da Mão”, de sua autoria.

Ex-secretário de Estado da Cultura do Amazonas em pelo menos quatro governos,  Robério disse ao Blog do Mário Adolfo que antes de sair do cargo, em 2016,  deixou tudo pronto para o  tombamento da famosa casa.

— Temos que lutar  para desapropriar, ou tombar,  imediatamente. Será um crime se venderem e derrubarem. A  casa e muito rica não só pela sua  história, mas também  como patrimônio arquitetônico de uma era e por sua própria mobília –, disse o historiador, lembrando que a denominação de 'Bolo Confeitado' se deve à expressão popular, “pela comparação fácil de ser feita, em razão dos adornos externos e da forma de construção em pedras”, explica Robério .

Histórias à parte, a triste realidade é que, o desavisado  que cruzar a esquina da Joaquim Nabuco com a Leovegildo, hoje,  com certeza vai tomar um susto quando seus olhos pousarem sobre placa de “Vendo”. E, se nada foi feito pelo poder público é isso que vai acontecer.

Como aconteceu com o Cine Guarany, ali perto.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.