BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Camiseta de Bolsonaro já é sucesso na Feira de Iracema


Fortaleza (CE) – A campanha do nacionalista  Jair Bolsonaro (PSC-RJ)  à presidência da República já está nas ruas, apesar da rejeição dos democratas e da esquerda.  Na mais famosa  feira de artesanatos de Fortaleza, a camiseta preta com a cara estampada do presidenciável  já pode  ser comprada ao preço de R$ 35. Pendurada em um cabide (cruzeta) e balançando ao vento do Ceará, a camiseta com a inscrição “’E Melhor JAIR se acostumando”, não passa impune. Alguns consumidores da feira xingam e até batem na camisa, outros se manifestam com exclamações de apoio.

— Estou vendendo bem. Tem gente que não gosta, mas outras que antecipam até o voto. Eu não voto, mas esse cara vai incomodar – diz o barraqueiro Clemilton Palmeira —, que aceita negociar a camiseta até por R$ 30.

De acordo com o ambulante, que vende biquini, cangas, maiôs e castanha de caju, a camiseta preta de Bolsonaro não foi feita por algum comitê partidário, mas sim por comerciantes oportunistas”que estão querendo faturar com o momento em que o debate sobre a eleição presidencial de 2018 começa a ficar em alta, colocando em foco nomes de pré-candidatos, como o de Bolsonaro.

— São grupos da sociedade, ou de pequenos fabricantes artesanais de camisetas, que tiveram a visão de sair na frente iniciado campanhas em apoio aos nomes que simpatizam, entre eles o de Bolsonaro – analisa o vendedor, que até domingo tinha vendido 15 camisetas.

No entanto, existem também aqueles que ficam indignados ao avistar a camiseta preta de Bolsonaro. Foi o caso de dona Maria Jamile Albuquerque, 60, de Brasília, que visitava Fortaleza e falou cobras e lagartos do presidenciável.

— Quem apoia o nome de um homem desses para presidente é porque não sabem o que foi a ditadura militar, que mergulhou esse país na escuridão por 20 anos. Não tínhamos direito a votar, a estudar filosofia, a  pensar, a falar, a assistir peças de teatro ou ouvir algumas músicas, como as do Chico (Buarque), por exemplo. É isso que querem de volta? Um homofóbico, xenófobo, um truculento que não respeita as mulheres na presidência?  – questionou.

Os dois modelos da camiseta são vendidos em Iracema

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.