BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Base Arpão apreende 8,3 toneladas de pirarucu e carne de jacaré


Mais de oito toneladas de pirarucu (Arapaima gigas) foram apreendidas durante fiscalização da Base Fluvial Arpão, da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), na noite da última terça-feira (08/09), em Coari (a 363 quilômetros de Manaus). Na mesma ocorrência, os policiais militares e civis também identificaram 300 quilos de carne de jacaré. As duas espécies estão ameaçadas de extinção e são protegidas por lei.

A apreensão do material representa um prejuízo de R$ 163 mil ao crime. O proprietário da embarcação foi detido pelas equipes policiais e vai responder por crime ambiental. O caso foi registrado na Delegacia que funciona dentro da Base Arpão. O infrator pagou fiança, no valor de R$ 8.350,00, e vai responder em liberdade. A pena para o crime é de até três anos de detenção.

Considerado o maior peixe de escamas de água doce do mundo, o pirarucu tem a pesca proibida o ano inteiro pela Lei do Defeso. Só o permitido o comércio com licenciamento ambiental concedido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O comércio de carne de Jacaré não é permitido no Brasil desde 1967.

A apreensão foi realizada por volta das 22h, quando os policiais da Base Arpão realizaram fiscalização à embarcação denominada Deysy Regina. Durante as buscas, o material foi localizado na parte inferior do barco.

No último sábado (05/09), os agentes ambientais e os policiais civis e militares que atuam na Base Arpão localizaram cinco quelônios, 50 ovos de tracajá e cerca de 10 quilos de pirarucu em outra abordagem no município de Coari. Ninguém foi preso.

A Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/1998) proíbe matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a permissão, licença ou autorização da autoridade competente. A multa é de R$ 5 mil por unidade apreendida, segundo o Ibama.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.