Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

A Previdência de Manaus acaba de obter o nível III do Programa de Certificação Institucional e Modernização da Gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios (Pró-Gestão RPPS), tornando-se a segunda capital brasileira – a primeira foi Recife (PE) – a obter essa certificação. Manaus é, também, a única Previdência a obter cinco Boas Práticas de Gestão (BPG), referendadas após auditoria do governo federal realizada no final de abril, conquistadas nos três pilares do Pró-Gestão: Controle Interno (2), Governança Corporativa (2) e Educação Previdenciária (1).

Nesta segunda-feira, 6/5, no Centro Cultural Palácio Rio Branco, Centro Histórico de Manaus, o prefeito Arthur Virgílio Neto apresentou um balanço do sistema previdenciário do município e assinou a nomeação de novos aprovados em concurso público para a Manaus Previdência. “Basta dizer que os nossos servidores aposentados correram o risco de não receberem os seus proventos e os que iam se aposentar também”, disse, ao lembrar do cenário que encontrou na Previdência municipal, quando assumiu a prefeitura em 2013.

O prefeito explicou que a Manaus Previdência tinha mais de R$ 250 milhões investidos em fundos problemáticos. “Conseguimos alterar a direção desses fundos podres, colocando gente bem-intencionada no controle da Previdência”, destacou. Atualmente, a autarquia possui cerca de R$ 83 milhões investidos em fundos podres, ou seja, apenas 8% do total. “Estamos com R$ 1,026 bilhão investido em fundos saudáveis, podendo dizer que a aposentadoria de quem ainda vai se aposentar está garantida”, concluiu Arthur, que estava acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro.

Por essas conquistas, a Manaus Previdência será recomendada ao Ministério da Economia como modelo de gestão previdenciária para os demais RPPS de Estados e Municípios e é candidata a obter o nível IV, já em 2020. “Nível III ganhamos com méritos, mas queremos ser faixa preta. Queremos chegar ao nível IV até o fim da gestão”, afirmou Arthur.

O fortalecimento da Previdência municipal garante os direitos previdenciários de mais de 7 mil beneficiários, entre aposentados e pensionistas, além do pagamento de futuras aposentadorias de, aproximadamente, 23 mil servidores estatutários. Para o prefeito, a solidez previdenciária é reflexo do ajuste fiscal promovido em sua gestão. “Se não tivéssemos essa situação fiscal, não teríamos dinheiro próprio para fazermos obras. Temos cerca de R$ 1 bilhão para investir na cidade em obras neste verão. Queremos deixar ao próximo prefeito ou prefeita uma Manaus com dívida zero”, completou.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas.