BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Arthur volta a destacar importância da floresta em pé durante Fórum de Cidades Pan-Amazônicas


“Uma árvore em pé dá muito mais lucro que uma árvore derrubada”. Com essa frase, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, destacou os avanços obtidos na geração de empregos verdes e na preservação da Floresta Amazônica durante o painel de lançamento do Fórum de Cidades Pan-Amazônicas (FCPA), realizado de forma virtual nesta quarta-feira, 4/11, com o tema “Governos Locais e Desenvolvimento Sustentável”.

“As escolhas têm que ser feitas agora e precisamos tomar as decisões agora. É importante mantermos a floresta em pé. Ela derrubada dá dinheiro por 20 ou 30 anos, depois não sobra nada, apenas desertificação. Enquanto agente empregador, a Prefeitura de Manaus é a segunda maior geradora de empregos na cidade, ficando apenas atrás da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), responsável por manter a floresta em pé”, apontou Arthur Neto, que integrou as discussões sobre “Oportunidades locais: Empregos Verdes nas Cidades Pan-Amazônicas”.

Na ocasião, Arthur apresentou ainda os resultados obtidos em sua gestão como a criação de oportunidades sustentáveis e a preservação de áreas verdes. “É impossível falar em ecologia sem falar em Manaus. Uma cidade superavitária, com uma gestão equilibrada. Temos compromisso com a sustentabilidade e somos a voz para falar, inclusive, internacionalmente sobre meio ambiente”, avaliou o chefe do Executivo municipal.

O prefeito, que conclui seu terceiro mandato em dezembro deste ano, sendo o segundo consecutivo, também disse que está deixando um legado com perspectivas de futuro. “Protegemos, aproximadamente, 2,8 milhões de metros quadrados de áreas públicas com a criação de parques da Juventude, corredores ecológicos, além das Áreas de Preservação Ambiental (APA). Tudo isso se alia à estrutura tecnológica que estamos criando com a construção do Casarão da Inovação Cassina, o Centro de Cooperação da Cidade e todas as nossas obras de mobilidade que integrarão a capital”, enumerou.

Arthur defendeu uma reforma profunda na Zona Franca de Manaus. Para o prefeito, é necessário investir em capital intelectual, criar novos polos e uma estrutura adequada, para que o crescimento sustentável aconteça, como a criação de um novo porto e melhoria na telefonia e internet da cidade. Além disso, afirmou que acompanha atento a eleição para presidente dos Estados Unidos. “Estou torcendo para o Biden, pois será insuportável para o mundo se o Trump ganhar”.

De acordo com dados apresentados pela ONU Meio Ambiente, das dez piores cidades com coleta de esgoto, sete estão na Amazônia brasileira. Manaus avançou mais de 25% nessa questão, como afirma o prefeito Arthur Neto. “Há quase 30 anos, fui o primeiro prefeito a fazer drenagem em Manaus. Quando assumi pela segunda vez, em 2013, Manaus tinha apenas 4% de cobertura em saneamento básico. Entregaremos com mais de 30%. Manaus tinha um problema grave de abastecimento de água, agora há água em abundância”, finalizou.

O FCPA é uma iniciativa do I Clei América do Sul e da Way Carbon, apoiada pela Fundação Konrad Adenauer, por meio Programa Regional de Segurança Energética e Mudanças Climáticas na América Latina – Ekla. O painel tem como objetivo, promover o intercâmbio de conhecimentos, práticas e modelos de desenvolvimento sustentáveis.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.